O encarceramento em massa de mulheres enquanto tecnologia do sistema colonial-racial

Autori

  • Ygor Santos de Santana UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • Emilly Silva dos Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

DOI:

https://doi.org/10.6092/issn.2036-0967/12182

Parole chiave:

decolonialidade, biopolítica, gênero, raça, encarceramento em massa

Abstract

Refletimos acerca do sistema penal enquanto tecnologia do modelo colonial-racial, por meio do qual se exerce uma distribuição diferencial da precariedade, que desumaniza setores inteiros da população. Partimos dos constructos teóricos do pensamento decolonial, do abolicionismo penal, da biopolítica e da precariedade. Com isso, analisaremos os relatórios do INFOPEN Mulheres. Entre 2000 e 2016, o encarceramento de mulheres, no Brasil, cresceu 455%, o que aponta para uma política de encarceramento em massa, cuja incidência é largamente maior sobre os corpos das mulheres negras.

Pubblicato

2020-12-30

Come citare

Santos de Santana, Y. ., & Silva dos Santos, E. . (2020). O encarceramento em massa de mulheres enquanto tecnologia do sistema colonial-racial. Confluenze. Rivista Di Studi Iberoamericani, 12(2), 315-336. https://doi.org/10.6092/issn.2036-0967/12182