Slam: periferia, pós-memória e identidade

Autori

  • Fernanda Vilar CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS, UNIVERSIDADE DE COIMBRA

DOI:

https://doi.org/10.6092/issn.2036-0967/12173

Parole chiave:

Escrita periférica, poesia slam, pós-memória, periferia

Abstract

A escrita da periferia de Lisboa influencia a articulação de uma história inclusiva do colonialismo na constituição do mapa de Portugal, e mais alargadamente, da Europa contemporânea. Nesse cenário, a emergência da poesia slam cumpre uma tarefa necessária em relação ao passado colonial europeu, ainda fortemente marcado (no seu inconsciente coletivo) pelos fantasmas de passados traumáticos ainda por elaborar. A maneira que a poeta raquellima lida com a pós-memória colonial fornece um ponto de vista privilegiado para um estudo crítico, porque permite questionar a colonialidade na fabricação da identidade periférica, ancorando sua história particular em uma história mais global.

Pubblicato

2020-12-30

Come citare

Vilar, F. (2020). Slam: periferia, pós-memória e identidade. Confluenze. Rivista Di Studi Iberoamericani, 12(2), 135-152. https://doi.org/10.6092/issn.2036-0967/12173