“Narrar para não deixar morrer”: O tempo do fim em Biografia do Língua (2015), de Mário Lúcio Sousa

Autori

  • Talles Luiz de Faria e Sales UNIVERSIDADE DO MINHO

DOI:

https://doi.org/10.6092/issn.2036-0967/12126

Parole chiave:

Mário Lúcio Sousa, suspensão do tempo, colonialismo, imaginário cultural, Cabo Verde

Abstract

Este artigo propõe uma análise do romance Biografia do Língua (2015), do escritor cabo-verdiano Mário Lúcio Sousa, traçada em duplo eixo: refletir a estratégia narrativa de um condenado à morte que, ao narrar, suspende o tempo modelando a língua e a história, e delinear as imagens literárias mobilizadas pela narrativa, esboçando o desenho de um imaginário cultural que recupera a memória dos movimentos do colonialismo português.

Pubblicato

2020-12-30

Come citare

de Faria e Sales, T. L. . (2020). “Narrar para não deixar morrer”: O tempo do fim em Biografia do Língua (2015), de Mário Lúcio Sousa. Confluenze. Rivista Di Studi Iberoamericani, 12(2), 45-61. https://doi.org/10.6092/issn.2036-0967/12126